Quanto Custa ter um Bebé?

Antes de se ter um bebé é importante fazer algumas contas, para avaliar os gastos implícitos a este projeto a dois, que se irá estender até ao resto da sua vida. Quando pensar em engravidar, é importante que decida onde quer ser vigiada: no público, no centro de saúde, ou no privado, médico particular ou hospital privado. Caso opte pela opção do privado faça contas pois fazer um seguro de saúde poderá ser vantajoso, de qualquer maneira explore as várias vertentes de forma a escolher a que melhor se adapta a si.

Então para enunciarmos valores o mais próximos da realidade tomamos por base o valor pago no serviço público, como mínimo, e num hospital privado, como máximo, além de dividirmos as contas em pré-concecional e gravidez, parto, e pós-parto e infância.

Pré-Concecional e Gravidez

  • Consulta pré-concecional – no centro de saúde custa cerca de €5 a €7, no hospital privado sem seguro de saúde ronda os €90, com seguro de saúde entre os €15 e os €50.
  • Exames pré-concecionais (análises e ecografia ginecológica) – pelo serviço público cerca de €10 a €15, pelo hospital privado entre sem seguro de saúde €100 a €150, e entre €40 a €80 com seguro de saúde.
  • Medicação pré-concecional (ácido fólico ou multivitamínico) – cerca de €4 por mês.
  • Consultas de vigilância da gravidez – no centro de saúde são gratuitas, no hospital privado sem seguro de saúde entre €80 a €90/ por mês, com seguro de saúde custa entre os €15 e €50/ por mês.
  • Exames da gravidez (pelo menos análises e ecografia uma vez por trimestre) – no centro de saúde são gratuitas, no hospital privado sem seguro de saúde cerca de €100 a €150 euros/ por trimestre, e com seguro de saúde entre €40 a €80/por trimestre.
  • Se escolher fazer a colheita e conservação das células estaminais será entre €900 a €1700, dependendo do laboratório e se quer apenas sangue ou também tecido do cordão.

Parto

  • parto numa instituição pública é gratuito bem como qualquer ida à urgência, ou unidade de cuidados neonatais, caso o bebé venha a precisar depois de nascer.
  • parto numa instituição privada sem seguro de saúde, com parto normal e internamento, cerca de €1500 a €2000, se for parto instrumentado ou cesariana faça as contas a €2000 a €3000. Não se esqueça que, se algumas coisa não correr como planeado pode ainda ter de suportar custos de unidade de cuidados neonatais ou custos relacionados com complicações que possam surgir no parto.
  • parto numa instituição privada com seguro de saúde tenha especial atenção se cobre as despesas relacionadas com o parto ou se tem períodos de carência, de uma maneira geral existe um plafond máximo até ao qual apenas pagará uma franquia e a partir desse valor será suportado pelo cliente. Com o bebé se ele necessitar de unidade de cuidados neonatais normalmente este serviço não está contemplado no seguro. Por isso poderá pagar entre €150 até cerca de €2000.

Pós-Parto e Infância

  • Para preparar o quarto do bebé terá de contar com pelo menos o essencial: berço, cadeirinha de transporte e carrinho, trocador, banheira e roupa, se tiver alguém na família que lhe possa emprestar seria o ideal, pois a maioria das vezes a mobília está em ótimas condições. De uma maneira geral poderá contar com um investimento inicial entre €400 a €1000.
  • Em termos de saúde do seu bebé decida se deseja que ele seja vigiado no serviço de saúde público em que as consultas, urgências e vacinação são gratuitas, ou se prefere ter um pediatra privado em que cada consulta pode rondar entre os €50 a €90 sem seguro de saúde, e entre €15 a €50 com seguro de saúde.
  • gasto mensal que terá desde o nascimento até cerca dos 2 anos em roupas, fraldas (se descartáveis), leite adaptado será cerca de €80.
  • E por fim, lembre-se que vai precisar de escolher uma creche e infantário para o seu bebé, caso não tenha a sorte de ter um familiar que possa ficar com ele, e que até à pré-escolar pode ir dos €290 aos €500 por mês.

À parte destes gastos, a recompensa de todos os dias ouvir dizer mamã/papá, supera quase todos os gastos que possa vir a fazer, no entanto, é sempre importante ter a noção de que um bebé necessita de muito investimento não só a nível financeiro, mas também emocional e psicológico, mas isso já são “outras contas”.


Por Susana Carvalho de Oliveira
Enfermeira Especialista em Saúde Materna e Obstétrica
Parteira de profissão e de coração desde 2011. Impulsionadora e diretora do projeto VouNascer. Desde 2006 que trabalha na área de obstetrícia, primeiramente no internamento de obstetrícia de um hospital privado, da área da grande Lisboa, e atualmente no bloco de partos e urgência obstétrica de um hospital público. É também conselheira em aleitamento materno reconhecida pela OMS/UNICEF, reflexologista na área da gravidez e parto, e co-autora do Método Nova-Génese. Empreendedora e dedicada de natureza. Tem 2 filhos rapazes que todos os dias lhe recordam as alegrias da maternidade.

Comentários

Ao escolher o seu país inscreve-se na nossa newsletter para receber as últimas informações sobre maternidade, descontos e novidades.

Ops! Ocorreu um erro

Por alguma razão não foi possível colocar o seu comentário.
Por favor tente mais tarde!

Fechar

O seu comentário foi enviado!

Em breve ficará disponível. Obrigado!

Voltar à Homepage