A Importância de Vacinar o Seu Filho

Um recém-nascido é um ser frágil, protegido dentro do útero materno num mundo estéril, tendo apenas contacto com microrganismos depois do nascimento. Saiba mais sobre a importância da vacinação na protecção do seu bebé.

O recém-nascido, especialmente um prematuro, tem um risco acrescido de contrair doenças, pois as suas defesas ainda estão em desenvolvimento. Apesar do bebé se encontrar protegido com os anticorpos maternos, transmitidos quer durante a gestação quer durante a amamentação, estes não são suficientes para garantir uma protecção eficaz ao seu bebé.

Por isso existe o plano nacional de vacinação, que permite interromper a transmissão de doenças e oferece uma maior capacidade de resistência na eventualidade da doença surgir. As vacinas constituintes deste plano são gratuitas e poderá vacinar-se a si e à sua família no centro de saúde da sua área de residência.

No entanto, existem algumas vacinas que não fazendo parte do plano nacional de vacinação podem ser aconselhadas pelo seu pediatra, como por exemplo a vacina contra a meningite meningocócica, rotavírus (responsável por gastroenterites) e contra a hepatite A, que podem ser compradas na farmácia, mas cujo valor terá de ser suportado por si.

De uma maneira geral todos os bebés podem e devem ser vacinados, mas existem algumas contra-indicações que o podem impedir, tais como:

  • Ter peso < a 2000g no caso da BCG (vacina contra a tuberculose);
  • Reação alérgica grave à dose anterior da vacina ou a alguns dos seus componentes;
  • Imunodeficiência grave, isto é, uma baixa das defesas do corpo, no caso das vacinas vivas (como a vacinada da BCG, VASPR – vacina contra sarampo, rubéola e parotidite, e  rotavírus);
  • Se surgiu encefalopatia nos 7 dias seguintes à toma anterior, no caso da DTP (vacina contra difteria, tétano e tosse convulsa).

Caso o bebé se encontre com uma doença ligeira, tenha demonstrado algum dos efeitos secundários expectável, esteja a tomar medicação, desde que não seja imunossupressora (que baixe as defesas do bebé), este poderá ser vacinado com segurança, no entanto é sempre conveniente referenciar estas situações ao enfermeiro que vai administrar a vacina.


Por Susana Carvalho de Oliveira
Enfermeira Especialista em Saúde Materna e Obstétrica
Parteira de profissão e de coração desde 2011. Impulsionadora e diretora do projeto VouNascer. Desde 2006 que trabalha na área de obstetrícia, primeiramente no internamento de obstetrícia de um hospital privado, da área da grande Lisboa, e atualmente no bloco de partos e urgência obstétrica de um hospital público. É também conselheira em aleitamento materno reconhecida pela OMS/UNICEF, reflexologista na área da gravidez e parto, e co-autora do Método Nova-Génese. Empreendedora e dedicada de natureza. Tem 2 filhos rapazes que todos os dias lhe recordam as alegrias da maternidade.

Comentários

Ao escolher o seu país inscreve-se na nossa newsletter para receber as últimas informações sobre maternidade, descontos e novidades.

Ops! Ocorreu um erro

Por alguma razão não foi possível colocar o seu comentário.
Por favor tente mais tarde!

Fechar

O seu comentário foi enviado!

Em breve ficará disponível. Obrigado!

Voltar à Homepage