Qual a Dieta de um Bebé Que Vomita?

O maior risco dos vómitos, que é mais exacerbado quanto mais pequeno é o bebé, é a desidratação pela perda de líquidos. Assim sendo, a grande prioridade é conseguir que o bebé pare de vomitar e tenha um maior aporte de líquidos.

Primeiro terá de fazer uma pausa alimentar, isto é, não dar nada que comer ou beber ao bebé. Passadas 1 a 2 horas se o bebé evidenciar sinais de fome e se ainda fizer leite materno pode oferecer-lhe a mama até ele querer, se fizer leite artificial prepare apenas metade da quantidade de leite que ele come habitualmente e se tolerar aumente gradualmente. Se ele não quiser não insista.

Em caso de crianças mais velhas e consoante a fase em que esta se encontra na introdução de novos alimentos, pode oferecer 1 colher de chá de 5 em 5 minutos de um destes preparados, sem insistir:

  • Soro de reidratação oral que se vende nas farmácias e de vários sabores;
  • Chá preto fresco e açucarado, mas diluído, ou seja, para uma parte de chá dilua em 3 partes de água. O chá preto evita o vómito e o frio tem um efeito repousante sobre as paredes do estômago;
  • Água chalada com açúcar;
  • Água de arroz ou soro caseiro (ver como preparar em “Qual a dieta do bebé com diarreia?”);

Se a criança se mantiver 6 horas sem vomitar e lhe apetecer, poderá começar a comer, sempre em pequenas quantidades:

  • Bolachas “Maria” ou de água e sal;
  • Tostas ou torradas secas;
  • Sopa sem gordura;
  • Fruta cozida;
  • Alimentos cozidos ou grelhados.

Não dê:

  • Leite de vaca.
  • Fritos ou alimentos gordurosos;
  • Alimentos condimentados;
  • Muita quantidade de alimentos de cada vez, mesmo que a criança refira que ainda tem fome.

Por Susana Carvalho de Oliveira
Enfermeira Especialista em Saúde Materna e Obstétrica
Parteira de profissão e de coração desde 2011. Impulsionadora e diretora do projeto VouNascer. Desde 2006 que trabalha na área de obstetrícia, primeiramente no internamento de obstetrícia de um hospital privado, da área da grande Lisboa, e atualmente no bloco de partos e urgência obstétrica de um hospital público. É também conselheira em aleitamento materno reconhecida pela OMS/UNICEF, reflexologista na área da gravidez e parto, e co-autora do Método Nova-Génese. Empreendedora e dedicada de natureza. Tem 2 filhos rapazes que todos os dias lhe recordam as alegrias da maternidade.

Comentários

Ao escolher o seu país inscreve-se na nossa newsletter para receber as últimas informações sobre maternidade, descontos e novidades.

Ops! Ocorreu um erro

Por alguma razão não foi possível colocar o seu comentário.
Por favor tente mais tarde!

Fechar

O seu comentário foi enviado!

Em breve ficará disponível. Obrigado!

Voltar à Homepage

Patrícia colono 08/27/17 3:46pm
Olá!
Acho tão importante o aleitamento materno... Minha BB tem 2 anos e 3 médicos q consultei me recriminaram por ainda estar amamentando.
Achei o cúmulo,já que existem tantas campanhas,tive q ouvir comentários do tipo,daqui a pouco ela está comendo feijoada e mamando na *teta*.
Ilustrações de mal gosto.