O Que é a Cesariana?

A cesariana é uma intervenção cirúrgica, também designada de parto via alta ou abdominal. Normalmente é sempre uma das últimas opções da equipa médica, pela sua natureza interventiva e cirúrgica, que tal como qualquer procedimento cirúrgico acarreta alguns riscos. Para além disso, o parto vaginal é mais fisiológico e a recuperação bem mais rápida.

É importante ter presente que, o facto do bebé nascer via vaginal, implica um grande expressão a nível torácico, que o ajuda a libertar melhor as secreções e líquido amniótico que estão presentes nas vias respiratórias. Quando ocorre uma cesariana essa expressão não é tão eficaz e o stress do bebé não é tão grande, podendo originar algumas dificuldades na adaptação à vida fora do útero materno.

Incompatibilidade feto-pélvica, isto é, o bebé pode ser demasiado grande para a bacia da mãe e assim impedir o parto vaginal;Existem várias indicações obstétricas para que o parto tenha de ser uma cesariana, como por exemplo:

  • Caso a vida do bebé ou da mãe estejam em risco;
  • Não evolução do trabalho de parto ou não dilatação do colo do útero;
  • Mais de uma cesariana anterior sem trabalho de parto;
  • Apresentação pélvica, ou seja, quando os bebés estão virados de rabo para baixo, em vez de estarem de cabeça, é uma indicação relativa, depende da equipa que a assistir.

A cesariana é realizada num bloco operatório, onde na maioria das vezes o acompanhante não pode estar presente, por ser um ambiente esterilizado onde apenas se encontra a equipa que vai prestar apoio à intervenção. Este procedimento é realizado por 2 médicos obstetras, com apoio de enfermagem, anestesia e neonatologia.

Atualmente, na maioria dos casos, a cesariana é feita sob anestesia epidural, o que permite à mãe ver o seu bebé nascer e ouvir o seu primeiro choro, no entanto ainda existem situações de emergência específicas que requerem uma anestesia geral, isto é, que a mãe fique a dormir, e só acordará no final do procedimento cirúrgico.

Após o nascimento do bebé por cesariana poderá vê-lo, mas como o bloco operatório é um local frio, o bebé terá de ir para baixo de uma fonte de calor onde será observado pela neonatologista e pela enfermeira. Depois de estar vestido e quentinho poderá tê-lo um pouco junto a si.

No fim da cesariana terá um penso operatório no abdómen e será transferida para o recobro, junto com o seu rebento, onde passará as próximas duas horas, sob a vigilância das enfermeiras, e onde poderá disfrutar das primeiras alegrias de ser mãe.


Por Susana Carvalho de Oliveira
Enfermeira Especialista em Saúde Materna e Obstétrica
Parteira de profissão e de coração desde 2011. Impulsionadora e diretora do projeto VouNascer. Desde 2006 que trabalha na área de obstetrícia, primeiramente no internamento de obstetrícia de um hospital privado, da área da grande Lisboa, e atualmente no bloco de partos e urgência obstétrica de um hospital público. É também conselheira em aleitamento materno reconhecida pela OMS/UNICEF, reflexologista na área da gravidez e parto, e co-autora do Método Nova-Génese. Empreendedora e dedicada de natureza. Tem 2 filhos rapazes que todos os dias lhe recordam as alegrias da maternidade.

Comentários

Ao escolher o seu país inscreve-se na nossa newsletter para receber as últimas informações sobre maternidade, descontos e novidades.

Ops! Ocorreu um erro

Por alguma razão não foi possível colocar o seu comentário.
Por favor tente mais tarde!

Fechar

O seu comentário foi enviado!

Em breve ficará disponível. Obrigado!

Voltar à Homepage

laura 12/23/16 8:18am
Ba tarde, meu nome e Laura eu tive primeiro bebe cesariana e nao foi nada bom, porque sofri para ter parto nomrmal nao consegui fui ter cesariana e tive complicacoes, no entanto estou gravida apesar de e estar traumatizada vou ter de novo cesaria mas com um medico que me acompanhe mas rezo todos os dias que tudo corra bem porque oque passei primeira vez nao foi facil ajude-me a sair dessa