Método Nova Génese ®

Parir numa caverna, no meio de um arbusto ou até pendurada numa árvore não corresponde ao conceito actual de dar à luz. No entanto, nos primórdios da espécie humana estas salas de parto eram tudo com que os nossos antepassados puderam contar. E assim foi durante milhões de anos. Até um dia termos enfrentado o horizonte e libertado as mãos do chão.

Somos os únicos mamíferos à face da terra que caminham habitualmente sobre duas pernas. Comparativamente à nossa massa corporal, temos o maior cérebro de todos os animais. Utilizamos ferramentas, roupa, fogo, abrigo e toda uma parafernália de materiais para sobreviver. Aprendemos a comunicar usando símbolos abstractos a que chamámos linguagem. Mas mesmo estando no topo da evolução somos os únicos que precisamos de ajuda para nascer e de ajuda para cuidar das nossas crias.

Enquanto as famílias eram alargadas e o universo feminino era exclusivo das mulheres, este cuidado especial ao nascer e ao cuidar era prestado de mulher para mulher, de mãe para filha, de parteira para parturiente.

Com o emergir do conceito de cidade e o êxodo rural, perde-se esta tradição e esta rede de apoio. As mulheres passam a dar à luz dentro das quatro paredes da Instituição Hospitalar. Deixa-se de ver nascer!

O aparecimento de cursos de preparação para o parto é a resposta às falhas de um sistema social que não chegava para satisfazer as necessidades da população feminina que, com as duas Grandes Guerras, reencontra um lugar de destaque na sua posição social.

Aprender a parir e aprender a cuidar da prole! Parece bizarro… mas a verdade é que ao primeiro Método de Preparação para o Parto, de 1933, seguiram-se outros, sempre acompanhando as necessidades quer da familia, quer da própria sociedade, mais exigente e mais informada.

Hoje assistimos a mais uma transformação do conceito de familia. Longe da célula familiar tradicional, contamos com famílias monoparentais, com pais do mesmo sexo, com filhos herdados de anteriores casamentos, gravidezes cada vez mais tardias por imposição de uma sociedade que catapultou a mulher para uma posição em que ela é muito mais que uma mera reprodutora e cuidadora de crianças… E a verdade é que desde 1989 que não existe nenhum novo Método de Preparação para o Nascimento organizado e estruturado para dar resposta a esta nova realidade familiar e social.

Como Enfermeiras de Saúde Materna deparamo-nos com muitas novas famílias ávidas de conhecimento e prontas para viver em pleno a transformação, que ter um filho exerce sobre todos nós. É com desilusão e alguma tristeza que verificámos, ao longo da nossa prática diária, que depois do bebé nascer, a família se encontra mais confusa e desapoiada. Para que servem então os cursos de preparação para o parto se estão assentes em Métodos obsoletos e em nada adaptados ao actual contexto social?

Porque continuamos a assistir a aulas em que os pais são como que formatados para uma rotina com o seu bebé, sem se aperceberem se são essas as suas verdadeiras questões, dúvidas ou medos? Não será cada familia um núcleo especial, com necessidades diferentes da família ao lado?

Como podemos continuar a oferecer às familias aquilo que elas não precisam e deixar de atender aos seus verdadeiros desafios?

Foi com base nestas questões que resolvemos contruir um novo Método de Preparação para a Parentalidade. Uma metodologia de trabalho e de cuidado, que fosse de encontro àquilo que a família precisa e quer, e não uma simples formatação automática de pais. Algo aberto, dinâmico e vivo: O Método Nova Génese.

Embarquem connosco nesta aventura onde o tesouro são vós próprios, e aprendam a conhecer o vosso filho pelos melhores olhos do mundo: os vossos.